terça-feira, abril 10, 2007

Páscoa - parte 1

Neste post vou falar um pouco sobre como é a Páscoa por aqui, tem algumas diferenças interessantes.
A Finlândia é um país luterano, ou seja, a maioria do seu povo frequenta a Igreja Luterana. O luteranismo é uma religião cristã que foi reformada de acordo com os ideais teológicos de Lutero. Como a Páscoa é um evento cristão, ela também é comemorada aqui.
Na Finlândia, a Semana Santa começa na quinta-feira e termina na segunda-feira, sendo que quinta-feira é o único dia que não é feriado. Cada dia da Semana Santa tem um nome. Quinta-feira é Kiirastorstai (Quinta-feira Santa), sexta-feira é Pitkäperjantai (Sexta-feira Santa), sábado é Pääsiäislauantai (Sábado de Páscoa, mas acho que esse nome não é muito usado, não tenho certeza), domingo é Palmusunnuntai (Domingo de Ramos) ou I Pääsiäispäivä (Primeiro Dia da Páscoa) e segunda-feira é II Pääsiäispäivä (Segundo Dia da Páscoa). No Brasil usamos Sexta-feira Santa e Domingo de Páscoa ou Domingo de Ramos. Dei uma pesquisada na internet e descobri que temos um nome para Quinta-feira Santa: Quinta-feira de Endoenças, é nesse dia que ocorre a missa da Benção dos Óleos e a cerimônia do Lava Pés. Vixe, nem lembrava mais que isso acontecia na Quinta-feira Santa. Boa parte da minha vida eu passei em um colégio católico, Marista, tendo aulas de religião todo ano e hoje eu nem lembro mais o que acontece na Quinta-feira Santa, que absurdo! :)
Posso dizer que minha infância e adolescência foi intensamente católica, além de estudar no Marista, fiz eucaristia, crisma e nos tempos vagos participava do grupo de jovens do Marista. Esse grupo de jovens era formado por alunos do Marista, às vezes, visitávamos asilos e creches, uma vez no mês íamos para missa juntos e também tínhamos encontros para refletir sobre determinados assuntos e cantar músicas religiosas. Além dessa minha formação, toda minha família é católica, eu tinha tudo para ser católica, no entanto, hoje eu não me sinto bem em ser católica, acredito em Cristo e em Deus, só que não concordo com algumas posições da Igreja Católica.
Lembro da época que fiz eucaristia, foi um bom período, gostava das aulas e dos lanches coletivos, onde cada aluno levava um prato de comida e passávamos o dia inteiro brincando. Às vezes, a professora da eucaristia colocava medo na gente, dizendo "todo mundo tem que saber o credo, porque se o Padre aparecer aqui na sala, ele pode pedir para um aluno rezar o credo e se você não souber...". O padre nunca apareceu na sala e por isso não sei o que poderia acontecer caso alguém não soubesse o credo inteiro. Eu sabia o credo todinho, sempre estava na ponta da língua, se duvidar, acho que ainda sei boa parte do credo. É sempre bom estar preparada para padres malvados.
Depois de contar sobre minha experiência de vida católica, volto ao ponto onde parei no início, Páscoa na Finlândia.
Nesse período de Páscoa, os supermercados começam a vender coelhinhos de chocolate, ovos pequenininhos, pequenos e médios de chocolate, não tem aqueles ovos grandes que vendem no Brasil. Os ovos pequenininhos vem em um saquinho em grande quantidade.
Um costume dos finlandeses nessa época é pintar os próprios ovos de Páscoa, então para atender essa demanda, a Fazer, a maior empresa de chocolate daqui, vende um ovo pequeno (do tamanho de um ovo de galinha) com casca de ovo mesmo, assim eles podem enfeitar à vontade com as cores que quiserem. Lembre-se, se você vier por aqui, não coma a casca branquinha, o bom é o que tem dentro. Por dentro tem chocolate maciço, não é oco como os ovos de chocolate no Brasil, é inteiramente de chocolate, é tanto chocolate que enjoa.
Além de pintar os próprios ovos, eles plantam em um pedaço pequeno de terra um tipo de grama (rairuoho), enfeitam a casa inteira com enfeites de Páscoa, compram um tipo de ramo (pajunkissa) e flores da Páscoa, tulipa e narciso.


Pajunkissa


Rairuoho


As crianças (meninas) se vestem de bruxinhas, não sei o motivo da fantasia, vou pesquisar e se eu souber de alguma coisa eu escrevo aqui com certeza. Vestidas de bruxinhas, elas vão de casa em casa, cantando uma música, desejando felicidades e saúde e em troca as pessoas que recebem as crianças, entregam a elas um pouco de dinheiro (moedinhas), doces ou ovos de chocolate. Bonitinho, né? Não sei o significado dessa tradição, mas é tão bonitinho ver as menininhas vestidas de bruxinhas, parecem mais com mini-camponesas do que com bruxinhas, uma gracinha. No Brasil, nós temos o costume de nos fantasiar no Halloween e no Carnaval, na Páscoa para mim é novidade.
Nesse período os finlandeses comem carne de carneiro, mämmi e pasha. Mämmi é feito com malte, farinha de centeio e açúcar, com esses ingredientes já deu para imaginar o sabor? Quando você olha parece um doce de ameixa, por causa da consistência e da cor preta, mas quando você come, é totalmente diferente! Eu provei na quinta-feira lá na escola de finlandês, a nossa professora levou. Eu não gostei, tem um gosto muito esquisito, claro que existem pessoas que gostam, mas para mim já basta, nunca mais, nem forçada, só sob tortura. Para completar a professora disse "fica bom com creme de baunilha e açúcar, mas não coloquem muito mämmi, pois enjoa". Você pode ter pensado, "humm, agora com creme de baunilha e açúcar deve ter ficado bom". Na hora, eu pensei a mesma coisa, mas quando dei a primeira colherada, eu não senti um gosto agradável, mudou um pouco, ficou um pouquinho só mais suave, um pouquinho só mesmo, o gosto ruim ainda permaneceu. Isso não foi frescura minha, maioria da turma não gostou, com exceção das pessoas que já moram aqui por muito tempo, anos e anos, que conseguiram comer tudo, as outras pessoas (nas quais eu me incluo) disfarçadamente (para não ofender) jogaram o resto do mämmi no lixo.


Mämmi


Ainda não sei o que é pasha, quando eu souber eu conto também.
No Brasil, na Semana Santa nós comemos bacalhau, peixe e um pão chamado Colomba de Páscoa, na verdade eu nunca comi esse pão, mas parece ser bom, pelo menos melhor que o mämmi é, com certeza. E, é claro, tal como no Brasil, alguns finlandeses vão a Igreja nesse período.
São muitas as diferenças entre o Brasil e a Finlândia, mas também temos muitas coisas em comum. As diferenças e semelhanças entre os dois países me interessa muito, assim vou conhecendo um pouco mais o Brasil e a Finlândia. Sempre que eu puder irei escrever mais, comparar e registrar tudo que estamos experimentando de novo por aqui.
Amanhã, escrevo o que eu e Lu fizemos nessa Páscoa.

6 comentários:

Wagner Saback Dantas disse...

Belas notícias, Cá, há muito esperadas! Obrigado!

Aproveito este comentário como uma união de respostas aos dois últimos posts: o do zoológico e o da Páscoa (capítulo 1).

Há tempos, não vou ao zoológico. Em Salvador, creio que fui -- a minha memória não alcança este tempo de infância hipotético -- quando criança com os meus pais. Sei que, pela escola, já fui ao zoológico. Sempre tínhamos passeios escolares memoráveis, que meus pais sempre apoiavam.

Interessante perceber essas diferenças culturais durante o período de Páscoa. Tampouco sabia que a Finlândia é um país de maioria luterana. Supunha eu uma diferença abissal entre Brasil e Finlândia, mas, ao que vejo, as coisas não são tão distantes assim. Cada qual com os seus afazeres dentro de um mesmo espírito de respeito e tradição, ainda que, em certas instâncias, o poder de mercado entranhe-se aos ditames da tradição do povo. Vendas de ovos de chocolate são um exemplo-maior.

Amanhã, viajarei para PoA. Estou bem feliz em poder rever os amigos de Salvador. Pena que você não estará lá. Por outro lado, certamente, fotos não faltarão. É só esperar. ;-)

Beijos e uma ótima quinta-feira!
Wagner - Fpolis, SC, BR, 11.04.2007, 23h22.

Cassio disse...

Pelo pouco que eu entendo essa história de meninas fantasiadas de bruxas vem de tradições pagãs, que aconteciam na mesma data da Páscoa. Com a chegada do cristianismo, essas festas meio que se misturaram. Os próprios ovos de Páscoa e o coelho são símbolos de tradições pagãs que ficaram na nossa Páscoa até hoje.

A tal fogueira de Seurasaari vem da tradição de fazer uma fogueira para espantar as bruxas. Isso é mais de origem sueca, pelo que me lembre.

O mämmi eu costumo dizer que é uma grande pegadinha. Ainda acho que nem eles comem aquilo, só fingem para enganar turista, e depois ficam rindo no canto. Uma vez a gente comeu com sorvete de baunilha para ficar ainda mais palatável. Foi bom, porque a gente jogou o mämmi fora e comeu o sorvete. ;)

Pata disse...

Nossa, mämmi é dureza mesmo, tb não consegui gostar. Provei uma vez só e já bastou, estou satisfeita, obrigada!
Mas é legal provar pra conhecer, por isso sempre experimento de tudo por aqui. E pelo visto vc tb ;)
Bjs

Mauricio Vieira disse...

Bom dia professora :) Quando eu quiser explicar alguém sobre páscoa, indicarei a url desta blogada :)

Sobre a comida esquisita, a aparência realmente não é ruim. Mas se ninguém gosta, e suspeita-se que até os próprios finlandeses não gostam, não vou querer nem provar pra saber :p.

MônicaPaz disse...

Na verdade lá por casa o que rola na Páscoa é a chamada comida baiana, muqueca de bacalhau, caruru, feijão fradinho (eu), vatapá (eu), arroz e peixe frito.

O que tem "eu" do lado é o que mainha fez para eu poder comer...

Ah! e vinho é claro.

Aninha disse...

Ei cá adorei seu blog. Tenho muitas curiosidades sobre a Finlandia e essa questão da comida é uma delas.

Bjs!

Ana