quinta-feira, março 18, 2010

O nascimento de Julia (parte 1)

O dia tão esperado enfim chegou! O primeiro sinal apareceu uns dias antes, o tampão (muco transparente) veio no dia 25 de Fevereiro, o trabalho de parto começou no dia 27 de Fevereiro e ela nasceu no dia 28 de Fevereiro. Ela foi bem pontual, a bolsa rompeu mais ou menos às 2h da madrugada do dia 27 de Fevereiro, o dia que estava previsto para ela nascer. Eu e Lu estávamos vendo um episódio de Desperate Housewives deitados na cama quando eu senti um "poc" e a água começou a escorrer. Logo em seguida comecei a sentir as contrações e já vieram potentes de 5 em 5 minutos. Minha mãe acordou e ficou com a gente no quarto. Liguei para o Birth Centre do Hospital Queen Charlotte pra avisar que a bolsa tinha rompido.
No hospital tem dois lugares para nascimentos: Birth Centre e Labour Ward. O primeiro é focado em partos normais, totalmente natural, sem peridural, as enfermeiras (midwives = parteiras) são especializadas nesse tipo de parto, elas ensinam como lidar com as contrações com técnicas de respiração, massagem, monitoram o coraçãozinho do bebê e ainda disponibilizam uma banheira para relaxar durante as contrações. Os quartos tem o gás, uma banheira pequena para ser usada quando o bebê está para nascer, colchão e almofadas no chão, uma bola grande tipo aquelas de ioga e pilates e outras coisas mais. O segundo é para partos que precisam de mais atenção, quando a gravidez tem alguma complicação e é necessário tomar uma peridural (anestesia da cintura para baixo) ou se a grávida não aguentar mais as dores e quiser a peridural para continuar o trabalho de parto, lá também tem as midwives para ajudar durante as contrações e monitorar os batimentos cardíacos do bebê; os quartos tem o gás, a bola grande e uma banheira. Nos dois lugares, os médicos só aparecem quando tem alguma complicação durante o parto, senão tiver nenhum problema, os partos são feitos só com as midwives.
Eu tinha escolhido o Birth Centre pois queria um parto normal na banheira. A enfermeira que atendeu a ligação disse que era pra eu esperar mais um pouco em casa e se não tivesse aguentando as dores era pra eu ir para o hospital. Depois de algumas horas já estava doendo muito, decidimos ir no hospital. Chegando lá a enfermeira me examinou (nesse exame fui na lua e voltei, doeu demais!) e viu que eu só tinha 2 cm de dilatação!! Depois de algumas horas com contrações de 5 em 5 minutos e eu só tinha 2 cm!!! Para quem não sabe temos que ter 10 cm de dilatação para o bebê nascer, então faltavam "somente" 8 cm. No geral, cada 1 hora equivale a 1 cm, ou seja, ainda tinha que lidar com as dores no mínimo por mais 8 horas! Como estava muito no começo a enfermeira sugeriu que eu ficasse um pouco na banheira e depois voltasse pra casa. Foi isso que fizemos. Pegamos um taxi do hospital pra casa que em cada buraco e curva sentia as contrações mais fortes. Cheguei em casa e fui direto pra banheira. Esperamos mais algumas horas e as contrações estavam cada vez mais fortes. Decidimos voltar pro hospital, mas agora fomos pro Labour Ward, pois eu já estava considerando tomar a peridural e esquecer esse negócio de parto na banheira. Chegando no hospital, me examinaram de novo e adivinha? Tinha aumentado só 1 cm!!! Agora estava com 3 cm!!! Uau hein?! Fiquei tão desapontada, depois de dezenas de contrações, só 1 cm?! A midwife disse que ainda estava muito cedo para o parto e me mandou voltar pra casa, eu disse de uma forma bem segura "I won't go back home, I will stay here!". Imagine voltar com aquele taxi, os buracos, as curvas, tirar as camadas de roupa quando chegar em casa e sentir as dores sem nenhuma orientação, nem pensar!!! Ela disse que eu poderia ficar lá, me ensinou a usar o gás, ensinou Lu e minha mãe a fazer massagens em minhas costas durante as contrações e como usar a bola. Fiquei um tempo sentada na bola com a cabeça encostada na cama e Lu fazendo as massagens em minhas costas. Nem preciso dizer que minha mãe estava super tensa, mas mesmo assim estava ali do meu lado fazendo carinho, prendendo meus cabelos e dando apoio a Lu também. Lu estava bem focado em me ajudar que nem sentiu o nervosismo.
Vou parando por aqui, já está na hora de amamentar Julinha e já escrevi de mais para um post, no próximo post continuo contando como foi o parto de Julinha. Até mais!

4 comentários:

Chris Pessoa disse...

Ai, que emocao! Parabéns pela Júlia! Que ela seja sempre muito feliz e saudável!!! Bjos!

Nani disse...

ká...
estou no Brasil e mesmo assim eu fico acompanhando seu blog e suas aventuras,e essa maior aventura chegou lindamente nos seus braços.fiquei feliz mesmo sem te conhecer por saber da gravidez e mais ainda agora por saber que foi tudo perfeito,e que vcesta com seu presentinho nos braços.
curta muito essa fase,eu sei que achara dificil,mas sendo sincera com vc,vc ainda sentira falta de ter esse pacotinho nos seus braços.estarei aqui esperando para ler a continuação do parto da Julia.
abraços...iane

Charles disse...

Rapaz... chega faltou ar lendo esse post, mesmo sabendo que o final da história foi lindo, pra dizer melhor, linda... uma linda indiazinha :)

Foi bom mesmo dar uma paradinha pra continuar depois :)

Só desejo muita saúde pra Julinha e muitas outras histórias felizes pra sua família pra vc contar aqui, Kerol! Um super beijo em todos por aí! :)

Charles

Geraldo Brito (Dado) disse...

As aventuras da maternidade...