quinta-feira, agosto 21, 2008

Nosso visto e viagem para Bélgica

Na primeira semana de agosto, depois de passar por um estresse tamanho, resolvemos viajar para algum lugar. Sem pensar muito, compramos as passagens mais baratas no momento e assim, fomos à Bélgica.
Antes de contar como foi a viagem, vou contar como chegamos nesse "estresse" que me refiro.
Tudo começou quando o advogado contratado pela empresa que Lu trabalha disse que o nosso visto HSMP tinha sido aprovado, não lembro exatamente quando isso aconteceu, acho que foi, mais ou menos, 3 semanas antes de viajarmos. Ficamos radiantes, o visto finalmente tinha sido aprovado e já estava a caminho de Boston (foi pra lá porque o endereço que está no processo é o endereço do escritório do advogado que fica em Boston).
Na segunda semana, Lu perguntou ao advogado se ele tinha notícia da carta, ele respondeu que iria verificar o que tinha acontecido e propôs começar um novo processo de visto, chamado Tier 1. Esse visto Tier 1 entrou em vigor no final de Junho, substituindo o HSMP, é um visto mais descentralizado, os processos são avaliados nos consulados de cada país, por exemplo, se a gente tentar esse visto, nosso processo será avaliado aqui na Finlândia. Ele disse que o Tier 1 poderia sair mais rápido que o HSMP. Achamos essa proposta um tanto esquisita, como o processo todo do Tier 1 poderia ser mais rápido que o correio? Nesse momento optamos por esperar a carta de aprovação do HSMP.
Depois de 3 semanas sem notícias da carta, começamos a ficar preocupados, pois junto com a carta estavam todos os documentos originais que tínhamos enviado para Londres. É para preocupar mesmo, pois quem é brasileiro ou já morou no Brasil sabe como é complicado tirar segunda cópia dos documentos no Brasil, né? Três palavras resume o que eu quero dizer: burocracia, demora e grana. Para entender melhor o que estava acontecendo, Lu resolveu ligar para o Home Office (a secretaria de imigração britânica). Eles disseram que o nosso visto não tinha sido aprovado. Tomamos o maior susto e ficamos com muita raiva de tudo isso. Lu mandou um email para o chefe dele explicando o que tinha acontecido, eles marcaram um telefonema com o advogado para saber o que estava acontecendo de fato. O advogado não sabia explicar e disse que iria entrar em contato com o Home Office. Acho que agora dá para entender porque resolvemos viajar.
Viajamos no dia 2 de agosto e voltamos no dia 5, Lu pediu 2 dias de férias e o chefe dele na mesma hora liberou. Mesmo com esse estresse, conseguimos curtir a viagem, andamos muito por lá, visitamos cidades lindas, a viagem ótima e nos fez muito bem. Ficamos hospedados em Bruxelas, passamos o primeiro dia em Bruges (fica a uma hora de trem de Bruxelas, eu recomendo, é uma cidade linda, cheia de canais, é conhecida como a "Veneza do Norte", lá tem mais coisas para ver/fazer do que na capital Bruxelas), no segundo dia, fomos para Bruges e Damme (uma cidadezinha perto de Bruges) e no terceiro dia, ficamos em Bruxelas.
Lu comeu os mexilhões com batata frita, uma combinação um pouco estranha, né? É o que tinha de mais famoso por lá. Comemos wafles, que são realmente deliciosos e todo santo dia comemos batata-frita, não tinha como fugir, a maioria dos pratos vem acompanhados dessa coisa maravilhosa e gordurenta que só faz a gente engordar. Essa fixação dos belgas pelas batatas-fritas tem uma razão, elas surgiram na Bélgica, no entanto ficaram conhecidas em inglês como "french fries". Uma lenda diz que na primeira guerra mundial, o termo "french" foi dado por soldados ingleses ou americanos quando experimentaram esse tipo de batata na Bélgica. Eles deram esse adjetivo "french" às batatas porque os soldados belgas usavam o francês como idioma oficial. Veja só, que injustiça, elas deveriam ser chamadas de "belgian fries" e não "french fries". Nós, que falamos português, não precisamos nos preocupar com isso, já que chamamos de batata frita, totalmente imparcial, muito melhor, e assim, não cometemos nenhuma gafe. :-)


Wafle de chocolate (hummmm...)


Manneken Pis (famosa escultura
do menino fazendo xixi - Bruxelas)



Eu na Grand Place de Bruxelas


Lu em Bruges


As autênticas


Os mexilhões belgas


Damme


No passeio de barco em Bruges


Atomium, um átomo de ferro gigante (Bruxelas)

A situação atual do nosso visto é a seguinte: o advogado conseguiu falar com uma pessoa do Home Office que explicou que existiam 2 processos em nome de Lu, um, foi aberto logo no início e o outro, foi aberto depois que enviamos separadamente o teste de inglês. O processo com o teste de inglês foi aprovado e o outro não, por isso deu essa confusão toda. O Home Office disse que não tinha enviado os documentos de Lu pelo correio e irá emitir outra carta de aprovação do nosso visto HSMP e enviar direto para nosso endereço aqui na Finlândia. Depois de tudo esclarecido, decidimos tentar o Tier 1, já que não influenciará no processo do HSMP, enfim, não temos nada a perder. Na próxima semana, iremos para uma entrevista no consulado britânico em Helsinki para dar início ao novo processo de visto, agora Tier 1. Vamos ver no que dá.

Obs: Tem mais fotos da nossa viagem lá no Flickr.

10 comentários:

Mauricio Vieira disse...

Bruges! Me recomendaram esta cidade outro dia para passar a lua-de-mel. Também me recomendaram muito Praga. Então, me façam o favor, visitem Praga e me diga se é romântica, hehe.

Quanto ao advogado, eu acho tudo muito óbvio. O trabalho de um advogado é postergar o problema. Se o problema é resolvido, ele não tem mais trabalho. Então, este advogado é muito eficiente, pro lado dele, porque tá com esta quizila simples há meses. Na verdade, quem devia ficar mais pirado com esta estória devia ser o chefe, e não vocês ;-).

Tirem outras férias e vão a Praga!

Beijos

Pata disse...

Ufa, que bom que as coisas estão se resolvendo. Agora respirem aliviados, em breve estarão começando uma vida nova que será maravilhosa, pois vcs merecem.

A idéia da viagem foi ótima, as cidades são realmente lindas e já entraram na minha listinha.

Beijo grande e fiquem bem!

Kinha! disse...

Gostei do encarar as batatas fritas como imparciais rsrsr

Adoro esses posts de viagem e conhecer lugares novos, até pq seus post são repletos de cultura rsrsr

Espero que o visto saia, qd li o feed fiquei feliz achando q já havia saído :-)
bjs

Arthur disse...

Olá Carolina, gostaria de saber aonde você fez (ou faz) curso de finlandês, sou muito interessado na cultura. Se seu curso não é em São Paulo, poderia me indicar algum curso na cidade?
Muito obrigado, peço que se possível me responda no e-mail arthurlovisolo@hotmail.com

Valeu

Arthur Lovisolo

Vinicius disse...

Zorra...
É quando a vida imita a "novela", hehehe.
Mas espero que essa novela termine logo, e com um final tranquilão. :-)

Muitos beijos e abraços!

Lia disse...

Oi!!!
Qua aventura vocês estão passando! Mas aposto que isso uni cada vez mais vocês!! Agora que comidas são essas??? Colocacar as fotografias foi covardia!! Ainda bem que não estou mais grávida!!! kkkk

Bjos

Wagner Saback Dantas disse...

Ufa! Felizmente, o processo de visto, que é sempre tortuoso, parece chegar ao fim.

Não apostaria sempre na hipótese da culpa no advogado porém. Trâmites geralmente, como disse, são longos e difíceis de transpor inerentemente. Advogados, a depender do grau de lisura, deixam tal complicação burocrática pior ou não. No caso do visto, não há outro jeito: as pessoas do outro país não lhes conhecem, então é preciso comprovar, comprovar, comprovar...

Anotei a dica de Bruges. O mal é ficar comendo batata-frita, aí não dá! O garoto-do-pipi é bem bonitinho.

Praga é uma bela cidade, um conjunto arquitetônico gótico de encher os olhos. Deve ser linda em qualquer época. Fui à cidade no inverno (janeiro). Os preços podem ser exorbitantes, pondero. Aconselho a visita (a você também, viu, Maux?).

Obrigado por nos manter atualizados. Espero que Noemi faça o mesmo no blogue dela (risos). Por tabela, acaba dizendo sobre mim mesmo afinal.

Bom final de semana, que já se aproxima!

Beijos,
Wagner.

terceiro disse...

Cá, você já assistiu "In Brudges"? É bem engraçado, e pra vocês que já estiveram lá deve ser mais ainda. :)

Beijão pra vocês dois e boa sorte!

Rhaoninho disse...

Essa espera é sem fim né!
Impressionante como o Home Office é devagar com qualqer tipo de visto.
Sei bem...

Estou louco pra conhecera Bélgica e quando for quero visitar outras cidades pequenas e bonitas também, näo somente Bruxelas.

Tudo vai dar certo, você vai ver!
Se cuida e abraco ao Lucas!

Jenni disse...

Olá!

Eu sou uma estudante na universidade de Tampere na Finlandia. Estou fazendo um projecto dos angolanos na Finlandia. Notei que no seu diário tem escribido sobre umas angolanas, a Tânia e a Carol, quem moram aqui e participam-se de projectos sociais com refugiados.

O nosso projecto na universidade de Tampere, no departamento de sociologia, averigua africanos na Finlandia. Seria muito interesante ter contacto com essas senhoras, talvez podiamos fazer colaboração com elas.

Se faz favor, você tem contacto delas? Seria muito espectacular se pode ajudar-nós.


Com muitos cumprimentos da Finlandia:
Jenni Laulumaa
jenni.laulumaa (at) uta.fi

Universidade de Tampere