segunda-feira, dezembro 18, 2006

Segunda-feira com muitas novidades

Hoje o dia amanheceu bem mais frio do que os outros dias. Agora está fazendo -2°C e pela previsão meteorológica já devia estar nevando. De manhã nevou bem pouco deixando os gramados esbranquiçados, as ruas escorregadias e o clima bem frio, mas neve mesmo, nada.
Os nossos casacos por enquanto estão aguentando, vamos ver quando a temperatura começar a cair mesmo.

Hoje acordamos cedo às 8h, tomamos café e saimos com Anne às 9h30. Anne tem nos ajudado muito desde que chegamos aqui na Finlândia, ela é a pessoa responsável em dar apoio a nossa mudança, tirar nossas dúvidas em relação às burocracias e costumes finlandeses e, às vezes, acompanha a gente em atividades mais complexas como foi o caso de hoje.
Fomos em dois lugares: um para fazer a nossa identidade filandesa (não lembro o nome do lugar) e o outro (centro de empregos, acho que era isso, não tenho certeza) para me registrar como desempregada.

Os dois lugares ficam no mesmo prédio em Tapiola (bairro de Espoo) só que em andares diferentes. Anne falava com os atendentes e depois nos explicava o que precisávamos fazer, foi assim nos dois lugares.

Primeiro fomos logo para o centro de empregos, preenchi um formulário muito chato que queria saber de toda a minha experiência profissional e que tipo de trabalho eu estou procurando. Escrevi que tinha experiência em desenvolvimento de sites, em ensino universitário (introdução a informática) e queria aprender a cozinhar, a ser chef de cozinha, isso mesmo! Pensei muito esses dias, sabia que teria que escrever em alguma coisa ou dizer a alguém qual é o tipo de trabalho que eu busco por aqui. Sempre senti muita dificuldade em definir o que eu realmente gosto de fazer, ainda é muito difícil. Não sei se vai dar certo, mas eu acho que gosto de cozinhar, de ver a satisfação das pessoas quando eu faço um prato legal. Talvez eu monte um restaurante brasileiro aqui e para isso vou precisar aprender um pouco de administração de restaurantes. Gosto também de organizar, de administrar, talvez nem fique cozinhando, só fique mandando, como diz meu pai. Anne disse que aqui tem uma escola particular que forma chefs de cozinha e possui também linhas de estudo nessa área, vou dar uma pesquisada melhor nisso, talvez me interesse por alguma coisa. Lembro quando eu passava férias em Canoa Quebrada, eu ajudava meu tio Fernando e minha tia Rita no restaurante deles, participava da montagem dos pratos e, às vezes, fazia uns pratos sozinha. Eu aprendi muita coisa lá, mas acho que só terei coragem mesmo de entrar nessa área depois que eu tiver passado por uma escola e um estágio em algum restaurante. Acho que vou procurar algum curso pra fazer nessa escola (depois que souber falar e ouvir bem finlandês) e ver se é isso mesmo que eu quero. Vamos ver o que acontece até lá.

Preenchi o formulário lentamente, o formulário estava em inglês, mas meu inglês como já disse não é bom, cada campo que eu passava pedia ajuda a Anne e a Lu. Depois que terminei de preencher, Anne pegou uma senha e percebemos que iria demorar para nos atenderem. Então, aproveitamos para ir ao outro lugar para saber mais informações sobre a identidade filandesa. Quando tivermos a identidade filandesa não precisaremos levar para todos os lugares o nosso passaporte, aquele troço grande verde que não cabe na carteira e quando a gente mostra para alguém, parece que todo mundo ao seu redor te olha e pensa "ah! você é estrangeiro!". Tudo bem que nossos traços não negam, mas também não precisa escancarar, imagina se tem algum grupo anti-brasileiro por perto, só esperando um mole de um brasileiro? Estou brincando, aqui não tem isso, não, mas que o passaporte é grande e feio, é!

Anne conversou com a atendente em finlandês e ela pediu nossos passaportes e nossa certidão de casamento, traduzida em inglês, para tirar uma cópia. Depois ela devolveu os nossos documentos e entregou para Lu um formulário. Lu preencheu para nós dois e entregou o formulário a antendente. Pronto, rápido e sem fila. Agora, teremos que tirar uma foto para a carteira de identidade e ir na polícia, depois disso a gente tem a nossa identidade filandesa.

Voltamos ao centro de empregos e ficamos esperando sentados, tinha uma pessoa para atender um monte de gente, o serviço era muito lento. Depois de 30min esperando, fomos atendidos. Entreguei o formulário, a atendente pediu meu passaporte e marcou a entrevista para o dia 16.01. Nessa entrevista eles irão avaliar se eu tenho condições de arranjar um emprego, como eu não sei nem finlandês, nem sueco e nem inglês, eu já sei qual vai ser a resposta: eu não tenho nenhuma condição. Por causa disso, é possível que eu consiga o seguro desemprego. Esse seguro desemprego é um dinheiro que vou ficar recebendo enquanto eu estiver no curso e não tiver condições de conseguir um emprego por aqui. Além disso, depois da entrevista (ou durante, não sei ainda) será feito pra mim um programa de integração na Finlândia, visando um único objetivo: encontrar um emprego rapidamente. Achei isso muito massa!

Depois disso tudo, Anne deixou a gente em casa, eu e Lu almoçamos no shopping, depois Lu foi para o trabalho e eu voltei para casa. Hoje, ele deve voltar um pouco mais tarde para casa, vai passar na academia para fazer alguns minutos de bicicleta. Tomara que ele consiga manter um ritmo, vai fazer bem para a saúde dele e talvez perca alguns quilinhos.

Hoje, pela tarde, recebemos uma ótima notícia de Sanna, lembra daquela festa que Lu tocou zabumba? Ele recebeu um convite daquela mesma banda para tocar percussão e zabumba. Ficamos muito felizes mesmo, eu pulei de alegria aqui em casa, liguei na mesma hora para Lu e ele já estava respondendo o email para o pessoal da banda todo empolgado. Isso vai fazer muito bem pra ele, eu sei como a música sempre esteve presente na vida dele e como faz falta. Cada dia que passo penso como foi bom ter encontrado Sanna, ela tem trazido muitas coisas boas para gente. Sanna, valeu de novo!

Como tivemos muitas novidades hoje, amanhã eu escrevo como foi o nosso fim de semana.
Boa semana para todos!

9 comentários:

Teea disse...

Legal ler sobre o seu dia, nem sabia que na Finlândia se faz tudo isso para ajudar estrangeiros. Espero que te dê força e esperança! Também adorei ler do seu sonho de restaurante brasileiro, realmente precisaríamos de um aqui ;) E não pode ser apenas brasileiro; tem que ser baiano mesmo!!
Beijos, Teea

Teea disse...

Sei... o vídeo é horrível. Só que no trabalho não deu ouvir bem. Ainda perguntei a minha amiga se está bem assim e ela falou que tá excelente... Vou atualizar quando puder/encontrar melhor clip.

Eulina Lordelo disse...

Eba, seguro desemprego sem ter sido empregado é o máximo, não? mas acho que não bem isso. Pode ser um auxílio de assistência social para quem ainda não tem emprego. De qualquer forma, vai ser muito bom! Um presente de Natal! Abração.

vinnie disse...

Eita Kerol! Só boas notícias, hehehe!
Porra, fiquei feliz pra caramba lendo esse seu post. :-) A onda é essa! Gostei da idéia da Chef Kerol e do futuro restaurante! Empreendedores avante! (essa palavra nãaaaoouuu! hehehe) Tenho confiança que vc vai conseguir fazer tudo o que planejar por aí.

Isso! Bota djonie pra malhar e tocar zabumba! Ele deve estar precisando. Malhar nunca foi a dele. Ainda lembro de djonie malhando comigo numa academia do Costa Azul. Deve ser a lembrança mais estranha que tenho, aheuaheuhauehaUehe. Sacanage...
Mas taí, eu disse! Só falta a banda trocar de nome pra Xibungos, aheuaheuahue!

Beijosssssssssssss!

Anônimo disse...

Caroool,
já que você anda expert na cozinha e cheia de planos, manda pra mim essa receita da torta de espinafre?outro dia tentei fazer uma aqui mas o recheio ficou aguado...

beijos natalinos!
Lia

Wagner Saback Dantas disse...

Êêêêêêêêêêêêê!!!!! Que notícias incríveis, Cá!

Imagine, um restaurante bahiano em plena Finlândia?!?!?! Massa! Concordo com Vinnie: Xi-bun-gos! Será que rola????

Beijão,
S. - BR, SC, Fpolis, - 10h12.

Carlinha disse...

Oi Ca,

Esse foi um dos melhores post que li. Quanta boa notícia! Adorei ver você motivada, com um objetivo em mente. Fantástico!!!!!!

Fiquei muito feliz em saber que Lu vai tocar em uma banda! Muito bom mesmo!

Fiquei espantada com a recepção e tratamento que a Filandia dá aos estrangeiros... Aqui no Brasil nem quem é brasileiro tem isso (a questão do seguro desemprego). Aproveite!

Beijos com saudades e felizes :)
Carlinha

Mônica Paz disse...

Oi Cá,
Sensacional a sua idéia. Se lembre que sempre tivermos umplano de algo nosso e se você conseguir realizar algo do tipo arranja uma vaga para mim, viu?

Ah! Sua dica de ontem foi ótima rsrsrsr

Te adoro e sinto saudades!
Beijos

Anônimo disse...

Olá!!! gostaria muito de conversar um pouco mais com vc, aliás, tirar algumas dúvidas. Sou namorada de Filândes e queria me informar melhor sobre os trâmites legais de casamento. Será que poderia me ajudar? Desde já obrigada!
Meu e-mail é: kamilabruneli@hotmail.com
Bjos!!!