segunda-feira, janeiro 22, 2007

Entrevista no ministério do trabalho

Esses dias estava com muita preguiça de escrever, por isso não escrevi na sexta-feira, mas hoje vou contar como foi a entrevista no escritório do ministério do trabalho.
A entrevista aconteceu na terça-feira passada, no dia 16.01, pela tarde. Eu e Lu nos encontramos no ponto de ônibus perto daqui de casa. Lu foi comigo para me acompanhar e me ajudar caso eu tivesse que falar em inglês.
Chegamos no escritório 30min antes, ficamos na sala esperando dar 14h. Quando faltava 5min, uma moça da minha idade falou com a gente em português. É muito estranho ouvir uma finlandesa falando português, a gente sempre espera que eles falem finlandês, mas aí escutamos um idioma conhecido e tudo fica esquisito. Lu fez uma comparação boa dessa sensação, é a mesma coisa quando você está esperando comer uma comida salgada e você é surpreendido com um gosto doce. Acho que o cérebro precisa de um tempo para se acostumar com a nova sensação, isso tudo em questões de segundos.
Ela disse que Lu não podia entrar, que ela iria traduzir a entrevista toda para mim e ele teve que ficar lá fora me esperando.
Na sala estava eu, uma moça do ministério que falava finlandês e a outra moça que traduzia para português. Detalhe que com o tempo fui percebendo que ela falava português de Portugal, mas era melhor do que o finlandês incompreensível.
A entrevista demorou 1h30, acho que na verdade a entrevista seria a metade desse tempo, já que tudo que a moça do ministério falava, a tradutora repetia para mim e quando eu falava, a tradutora repetia em finlandês para a moça do ministério. Haja paciência!
No início da entrevista mostrei todos os meus certificados de coordenação de projetos, certificados de instrutora, o contrato de professora substituta na UFBA e meu diploma. Falei das minhas participações no UFBANET e no CEDECA. A moça do ministério registrou tudo no sistema e disse que quando eu começar a procurar emprego que seria bom eu ter esses documentos traduzidos. Não preciso me preocupar com isso por agora, já que não conseguirei nenhum emprego. Talvez daqui a 6 meses ou um ano.
Durante a entrevista, fiquei sabendo que eu não conseguiria o seguro desemprego só com o curso de finlandês que me inscrevi na universidade (2 vezes na semana) pois não é equivalente aos cursos oferecidos pelo governo. Se eu tivesse me inscrito no curso de 4 vezes na semana, não teria problema, pois tomaria todo meu tempo, ou seja, eu estaria dedicada a aprender finlandês e não teria tempo para ser empregada. Ela me mostrou outro curso de finlandês que eu poderia me inscrever, 5 vezes na semana, 6 horas por dia. Fiquei muito tentada a me inscrever, só que achei melhor conversar com Lu antes para saber a opinião dele. Ela me deu um formulário preenchido em finlandês como modelo caso eu quisesse me inscrever nesse curso.
Ela começou a preencher outro formulário e me entregou dizendo que eu teria que ir no KELA, a instituição que pagará o seguro desemprego, para entregá-lo junto com o último contra-cheque de Lu. Para isso, eu tenho que terminar de preenchê-lo dizendo o que eu faço em cada dia durante as próximas duas semanas.
É impressionante como eles sabem da minha vida, eles sabiam que eu tinha mudado de endereço (logo que chegamos demos o endereço do hotel onde nós estávamos hospedados para uma instituição pública, que agora não lembro o nome e nem a sua função, e depois a gente mudou para a nossa nova e atual casa), eles sabiam todos os meus números, não precisei levar xerox de nada e nem mostrar nenhum documento. Quase um big brother, sempre bate um certo medo de estar sendo vigiada.
No final da entrevista, ela me disse que devo avisar sempre que for viajar e avisar caso eu mude de endereço. Se eu não avisar, eu perco o seguro desemprego e deixo de ser uma "cliente" do ministério do trabalho, ou seja, vou ter que procurar emprego por conta própria. Isso seria um problema para mim, já que ainda não temos uma grande rede de contatos.
Soube que tenho 6 dias de férias por ano. Por aqui, até os desempregados tem férias, engraçado, né?
A partir de agora vou receber 2 tipos de correspondências do ministério do trabalho: uma, com sugestões de cursos para eu fazer e outra, com sugestões de emprego. Pelo o que eu entendi, eu não posso recusar as indicações para um determinado emprego, tenho que ir para a entrevista mesmo não querendo. Desse jeito, não tem quem fique desempregado!
A entrevista terminou e saí de lá muita satisfeita com a organização e o apoio deles. No caminho para o ponto de ônibus conversei com Lu sobre o curso de finlandês oferecido pelo ministério e achamos que deveríamos me inscrever. É um curso todo de graça, não precisa comprar material e vai ser bom que irá ocupar bastante meu tempo. Depois disso, eu voltei para casa e Lu, para o trabalho.
No dia seguinte, acordamos bem cedo e fomos me inscrever no curso. Essa inscrição não garante que eu já estou no curso. O primeiro critério considerado é quanto tempo a pessoa está esperando pelo curso, quanto maior é o tempo, maior é a probabilidade de entrar. O segundo critério é o grau de escolaridade, quanto maior é o grau, maior é a probabilidade. Nesse segundo critério, a moça disse que eu tenho boas chances. :)
A resposta se eu serei aceita ou não, chegará em algum dia entre 26 de janeiro e 08 de fevereiro. Então, cruzem os dedos com a gente e vamos ver o que acontece! Até lá, vou fazendo o curso de finlandês da universidade, 2 vezes na semana, e o curso de inglês, 1 vez na semana. A boa notícia é que mesmo que eu não termine o curso de finlandês da universidade, a Nokia vai restituir a grana que pagamos pelo curso.
Sinto que as coisas por aqui estão começando a melhorar. ;)

9 comentários:

Alethéa disse...

Olá Carolina!
Eu tbém passei por essa entrevista do ministério. Eu fiz um curso de finlandês do ministério muito bom. A escola chama-se Innofocus e fica em Espoonkeskus. Eu gostei muito. Caso vc queira mais informacões pode mandar e mail.
Abracos Alethéa

vinnie disse...

Rapaz, as coisas aí funcionam como um relógio hein? Que organização da porra... Isso deve passar uma certa segurança. Boa sorte pra vcs!

Beijossssss!

Anônimo disse...

Oi Carol,
espero que vá dar mesmo certo com o outro curso de finlandês! Também fico feliz ao ver que já está gostando (ou acostumando...) um pouco mais de aqui. Embora falte o festival de verão de Salvador ;) (acho que não te ajudo muito... só falo das coisas que aumentam a saudade!)

Vou responder ao seu e-mail depois.
Beijos, Teea

Anônimo disse...

Como diz o sábio do Não se avexe:
"Toda caminhada começa no primeiro passo..."
Deu o primeiro passo, tudo começa a caminhar!
um grande beijo, saudades,
salete

Anônimo disse...

Jona,

Massa esta do ministério do trabalho dar curso de finlandes de 6 horas por dia (só não volte falando com sotaque, igual a Lucasa que foi pro Sul e fala 'quebrado').

As vantagens de morar no gelo são estas, não tem gente, aí eles fazem o máximo pra que todos q tão aí trabalhem =] relatando estas coisas em pt vc vai acabar causando uma onda de emigração do brasil praí ;)

Achei muito legal isto e espero que nos conte das 'intimações de emprego' que você 'sofrer', hehehe.

beijos da terra do sol

ps: fala pra joni entrar no chat qquer dia destes.

Kinha! disse...

Cá, tenho certeza que as coisas estão dando certo por aí!!
Estou muito contente com as suas atividades e te desejo mais um monte :-)
beijos e estou com saudades do nosso papinho.

Terceiro disse...

oi Cá, é muito bom saber que as coisas estão andando, e principalmente que você está se sentindo mais confortável por aí! :-)

Beijão!

Cécile disse...

Olá!!
Que notícias boas!! :-)
Vi agora seu recadinho no blog do vinnie. Eu assiti 'A Marcha dos Pinguins' há alguns dias e achei muito fofo. Principalmente, a parte dos filhotinhos. :-)
Vale a pena baixar!
Bjão pra vc!!

vinnie disse...

Rapá, amanha é feriado aqui e pinky vem de novo. A gente vai curtir e devo tirar outras fotos. To aproveitando o que posso enquanto o semestre não começa, hehehe. Quanto a ver filme e almoçar sozinho, são coisas que nunca pensei que iria me acostumar, mas acabou acontecendo. Porém nem se compara quando estou com Cê do meu lado. :-)